IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

Notícias

Turma do NPOR do 19º BC realiza “Visita Cultural” em museus do Ipac

  • Publicação:

O Centro Cultural Solar Ferrão, os museus Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e o Tempostal, durante todo ano, recebem diversas visitas especiais e na manhã desta terça-feira (13) foi a vez dos alunos do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR) do 19º Batalhão de Caçadores (BC).

 

O Capitão Roberto Monteiro, responsável pela ação, explica que a visita aos museus passou a ser obrigatória para os alunos como forma de diálogo entre a disciplina teórica de história e a prática da vivência dentro dos espaços culturais. “Eles têm previsto no programa geral escolar uma matéria de história militar que envolve um pouco da história do Brasil e da Bahia. A gente findou esta atividade e por isso julgamos bastante oportuno eles conhecerem um pouco da história da Bahia. Isso é importante para o aluno, já que serão oficiais temporários do Exército Brasileiro”, justifica Roberto.

 

Para Felipe Aquino, 19 anos, a atividade proporcionou a expansão do conhecimento e também a comunicação entre o que é aprendido em sala de aula sobre cultura e sociedade. “Eu vejo essa visita como uma oportunidade ímpar que nos possibilita conhecer e expandir culturalmente. Aprendemos com o Exército e trazemos um pouco para a sociedade civil e nada mais coerente que a gente conheça parte de nossa história”, destaca Aquino.

 

O primeiro museu visitado foi o Solar Ferrão, onde passearam pela Coleção de Walter Smetak – o Alquimista do som. O local que mais chamou a atenção do grupo foi a Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais de Emília Biancardi. “Vejo que são peças que a gente não encontra em qualquer lugar. É uma oportunidade que nós temos de aprender sobre a invenção de alguns instrumentos feitos por artistas que são poucos conhecidos”, observou o aluno oficial, Luís Ferreira.

 

Após o Ferrão, os estudantes seguiram para o Museu Tempostal, onde puderam aprender um pouco sobre a imigração japonesa e sua influência sobre o Brasil, assim como apreciar fotos da Salvador antiga.

 

Por fim, a pequena expedição terminou no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica. Lá, eles ouviram sobre a história e a importância dos azulejos para a cultura baiana e também sobre quem foi Udo Knoff.

 

“Através dessas visitas nós podemos ver que a cultura brasileira teve influências africanas, alemãs, holandesas, portuguesas e juntando toda essa mistura temos como um belo exemplo vivo de pluralidade o bairro do Pelourinho”, comentou o aluno oficial,  Lewy Loureiro, 19 anos.

 

 

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 14.11.2018

Assessora Responsável: Alexsandra de Alcântara Santos

Texto: Nicolas Melo (Estagiário)

Revisão de texto: Carla Costa (Jornalista DRT:03850)

(71) 3117-6490, 3116-6673

ascom.ipac@ipac.ba.gov.br

www.ipac.ba.gov.br

Facebook: Ipacba Patrimônio

Twitter: @ipac_ba