IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

Notícias

Requalificação de imóveis da Fundação Hansen: Licitação para projeto executivo abre na próxima sexta-feira (12)

  • Publicação:
No dia 19 de novembro, a partir das 10 horas, será aberta licitação referente à contratação de empresa de engenharia e/ou arquitetura para elaborar projetos executivos visando a requalificação dos imóveis pertencentes ao Patrimônio Edificado da Fundação Hansen, localizados nos municípios de Cachoeira e São Felix.
.
Trata-se de três edificações: um Espaço Cultural e um imóvel na Rua 13 de Maio, ambos em Cachoeira e inseridos na poligonal de tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sendo que o último também é tombado individualmente; e a Fazenda Santa Bárbara, em São Félix, inserido na poligonal de tombamento pelo Iphan e tombado individualmente pelo Ipac, conforme decreto nº 8.357/02.
.
A execução do projeto será coordenada pelo Instituto de Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) e tem como principal finalidade a restauração de elementos artísticos, de estruturas, instalações elétricas, hidráulicas, de rede lógica e de telefonia, de segurança contra incêndio e pânico, de climatização, de instalações mecânicas (elevadores). Todos esses itens deverão constar no projeto executivo.
.
Segundo o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira, o objetivo é atender as necessidades das demandas para implantação do novo conceito de gestão das sedes da Hansen Bahia e de preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural.
.
Fernando Caldeira, diretor de Projetos, Obra e Restauro (Dipro) do IPAC, explica que, nos últimos meses, foram realizadas diversas vistorias nos monumentos para avaliar o estado de conservação e levantar as necessidades relacionadas às suas estruturas, instalações e aos demais elementos arquitetônicos.
.
“Neste caso, o IPAC se faz presente exercendo o seu papel inerente de salvaguarda do patrimônio cultural edificado. O objetivo é contribuir para a preservação da memória e para o papel social que exercem estes bens às comunidades de Cachoeira e de São Félix”, explica o diretor da Dipro.
.