IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

    banner-terreiros

Notícias

Produtos de 500 famílias da RMS serão comercializados amanhã (9), das 9h às 16h, em feira no Pelourinho

  • Publicação:

Mais de 500 famílias da Região Metropolitana de Salvador (RMS) produzem itens de agricultura familiar e artesanato que serão comercializados amanhã (9), das 9h às 16h, na Praça das Artes, na 1ª Feira Agroecológica do Pelourinho. “Teremos cerca de mil itens de 12 comunidades diferentes, sempre vindos de produção coletiva de agricultores familiares de povos e comunidades tradicionais da RMS”, explica Ana Maria Placidino, da entidade gestora da feira, Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (Acbantu). A realização de feira é da Acbantu, Áwa Ações Coletivas, Coletivo de Entidades Negras, Associação Sol Nascente, Cooperativa Kitanda Bantu e Quilombo Pitanga dos Palmares.

“É uma rede de comercialização de produtos naturais, sem agrotóxicos, que tenta se fortalecer junto a um mercado cada vez mais crescente.”, completa Ana. Hortaliças, frutas, legumes, verduras e mudas de plantas são alguns do produtos. “Ainda temos sequilhos, doces em compotas e artesanato, tudo comercializado em 12 barracas na Praça da Artes”, lembra Ana Placidino. A feira terá ainda rodas de conversa e até baianas de acarajé. O evento é gratuito e a ideia é que ocorra todas as quintas-feiras de cada mês.

A Praça das Artes foi o espaço escolhido para início do projeto, que leva o nome de ‘Feira Agroecológica Nkaanda’, que significa família, nas línguas kimbundu e kikoongo, de origem bantu. Serão vendidos produtos de famílias de Vera Cruz, Itaparica, Simões Filho, Salvador, Camaçari e Lauro de Freitas. As rodas de conversa foram criadas para se discutir a importância do projeto para a sociedade, a alimentação saudável, o baixo custo dos produtos da agricultura familiar, dentre outros temas.

RENDA, AGROECOLOGIA e CULTURA – O projeto dessa feira tem foco na geração de emprego e renda, divulgação da agricultura familiar e dinamização do Pelourinho e adjacências. Na Bahia, os agricultores familiares cultivam 90% da mandioca plantada no estado. Cada região tem sua particularidade. A Bahia é o estado com maior número de estabelecimentos de agricultura familiar de todo o País (15,2% do total) de acordo com dados da Secretária de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

A Praça das Artes tem entrada pela Rua Gregório de Mattos (em frente à sede do Olodum) e é administrada pelo IPAC. Esta ação integra o Programa de Dinamização de Espaços e Museus do IPAC, que é responsável pelos principais espaços museológicos de Salvador (www.ipac.ba.gov.br/museus) e equipamentos como Passeio Público e Palácio da Aclamação, dentre outros.

APOIO e OCUPAÇÃO – O evento conta com apoio do Centro Público de Economia Solidária (Cesol), da Secretaria do Trabalho Emprego e Renda do Estado (Setre), Secretaria de Cultura (SecultBa), via Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), Superintendência de Agricultura Familiar e Bahiater da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

“Essa parceria é fundamental para ocupação dos espaços públicos, oferecendo à população serviço diferenciado de feira agroecológica, artesanato, lazer e cultura”, finaliza o coordenador de Acesso ao Mercado da SDR, Ronaldo Silva. Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.

SERVIÇO:
Evento: Feira Agroecológica Nkaanda
Local: Praças das Artes – Rua Gregório de Matos – s/n Pelourinho
Data: 09 de novembro de 2017, quinta-feira.
Horário: Das 9h às 16h
Quanto: Entrada gratuita

Fotos Anexas – Crédito: Jefferson Vieira e ACBANTU

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 08.11.2017
(71) 3117-6490, 3116-6673, 991105099
Jornalista responsável Geraldo Moniz de Aragão (DRT-BA nº 1498)
Texto base e entrevista: Newton Soares (Estagiário de Jornalismo)
ascom.ipac@ipac.ba.gov.br – www.ipac.ba.gov.br
Facebook: Ipacba Patrimônio – Twitter: @ipac_ba – Instagram: @ipac.ba