IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

Notícias

“Não tem outro lugar que eu gostaria de estar expondo a não ser aqui”, diz Adriana Varejão sobre mostra no MAM

  • Publicação:

Na abertura ontem (16) da exposição ‘Adriana Varejão – por uma retórica canibal’, em cartaz até 15 de junho no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), a artista carioca fez questão de falar da satisfação sobre expor na Bahia e no Brasil. “Não tem nenhum outro lugar que gostaria de estar expondo neste momento a não ser aqui. Eu acho que é o momento de ficar, momento de falar, momento de se expor, um momento importante para isso”, concluiu.

 

Adriana destacou ainda que a mostra é oportuna pelo cenário político que o Brasil vive atualmente. “Neste momento onde se inventam histórias em favor de um domínio, vem toda a minha narrativa que acontece no sentido de uma história que não é a favor do dominador”, explicou a artista. Nascida em 1964 no Rio de Janeiro, Adriana é considerada uma das mais importantes artistas brasileiras da contemporaneidade. Ganhou Ordem do Mérito Cultural do MinC (2011), Medalha de Chevalier des Arts et Lettres do Governo da França (2008), dentre outras honrarias. Fez exposições individuais em Tóquio, Roma, Madrid, Amsterdam, Nova York, Los Angeles, Londres, Dallas, Rio de Janeiro, São Paulo e dezenas de outras cidades.

 

A mostra está no casarão do complexo arquitetônico do Solar do Unhão originário do século XVII, localizado às margens da Baía de Todos os Santos, em Salvador, e tombado como Patrimônio do Brasil pelo IPHAN/MinC, desde 1943. O MAM integra o conjunto dos mais importantes museus baianos administrados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), órgão da Secretaria de Cultura (SecultBA). O IPAC gerencia ainda o Palacete das Artes (Graça), Museu de Arte da Bahia (Corredor da Vitória), Solar Ferrão (Pelourinho), dentre outros.

 

O evento contou com a presença da chefe de Gabinete da Secretaria de Cultura da Bahia, Cristiane Taquari e do Secretário de Turismo, Fausto Franco.Outras autoridades, personalidades, pesquisadores e artistas como Ayrson Heráclito, Caetano Dias, Cida Lima, Bel Borba, Tiago Sant’Ana, Ana Patto e Nair de Carvalho, também marcaram presença. “Este ano ainda teremos muitas novidades para os museus baianos”, enfatizou o diretor do IPAC. De 2015 a 2017, o instituto promoveu campanhas educativas e de promoção dos museus baianos (www.ipac.ba.gov.br/museus), aumentando em até 60% a frequência de pessoas nesses equipamentos públicos.

 

A EXPOSIÇÃO - A mostra ‘Adriana Varejão – por uma retórica canibal’, em cartaz até 15 de junho no MAM, apresenta 20 obras dos mais de 30 anos de trajetória da artista, produzidas entre 1992 e 2016. Os trabalhos de Adriana integram acervos dos principais museus e galerias do mundo, dentre eles, o ASU Art Museum (Arizona/EUA), Dallas Museum of Art (Texas/EUA), Inhotim Centro de Arte Contemporânea (Minas Gerais/Brasil), Fondation Cartier pour l’art contemporain (Paris/França), Fundació la Caixa (Barcelona/Espanha), Hara Museum of Contemporary Art (Tóquio/Japão), Stedelijk Museum (Amsterdam/Holanda), Guggenheim Museum (Nova York/EUA) e Tate Modern (Londres/Reino Unido).