IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

    banner-terreiros

Notícias

Manifestações culturais da Bahia se reúnem amanhã (13), às 19h, no TCA para festejar 50 anos do IPAC

  • Publicação:

 

Representantes das principais festas, ofícios e manifestações culturais baianas protegidas oficialmente pelo Estado da Bahia, estarão amanhã (13), a partir das 19h, no Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, na sessão especial que a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) faz para homenagear os 50 anos de fundação do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC). Terreiros de candomblé, baianas de acarajé, Festa do Bembé do Mercado, Festa D’Ajuda, Marujada de Saubara e Carnaval de Maragojipe são alguns dos bens culturais baianos, protegidos via IPAC, que estarão no evento. A maior parte desses grupos estarão presentes via a Associação dos Músicos Mascarados e Bandas da Bahia (AMMABahia).

Além disso, personalidades e instituições que contribuíram para a proteção dos bens culturais baianos, sejam materiais ou imateriais, serão agraciadas com a ‘Comenda 50 Anos – IPAC’. Dentre elas, a etnomusicóloga Emília Biancardi, a sambadeira Dalva Damiana, a museóloga Sylvia Athayde (in memoriam) e os mestres de Capoeira João Grande (Regional) e Neneu Filho de Mestre Bimba (Angola). Ainda estão na lista para receber a comenda a Irmandade da Boa Morte de Cachoeira, o Terreiro Ilê Abaxê, a Associação de Comerciantes do Pelourinho (Acopelô), o Grupo A Tarde, o Conselho de Cultura da Bahia, o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o servidor mais antigo do IPAC, Paulo Nunes, e o governador Rui Costa.

RESTAUROS, MUSEUS e TOMBAMENTOS – Referência no Brasil por ser um dos primeiros órgãos estaduais da área de patrimônio cultural criados no país, o IPAC tem relevantes serviços prestados na Bahia, como nas primeiras etapas de revitalização do Centro Histórico de Salvador, e o restauro de imóveis, monumentos e orlas fluviais das cidades de Lençóis, Cachoeira e São Félix. Restaurações de importantes monumentos em Salvador, como Catedral Basílica, as igrejas de Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora do Boqueirão e Rosário dos Pretos, além da Casa das Sete Mortes e Palácio Rio Branco, também foram de responsabilidade do IPAC.

“Com cinco décadas de serviços prestados, o Instituto detém memória técnica e execução de projetos, obras, estudos, levantamentos, inventários e restauros produzidos por alguns dos mais respeitados especialistas e mestres do patrimônio cultural no Brasil”, afirma o diretor geral do IPAC e arquiteto, João Carlos de Oliveira. O Instituto está responsável ainda por cooperações, convênios, acompanhamentos, fiscalizações e orientações técnicas aos 417 municípios do território da Bahia.

No início dos anos 2000, o IPAC passou a coordenar a política estadual da museologia na Bahia. “O IPAC detém os mais importantes equipamentos museológicos baianos, como o Museu de Arte Moderna (MAM), Museu de Arte da Bahia (MAB), Centro Cultural Solar Ferrão, Palacete das Artes e Palácio da Aclamação, dentre outros”, completa João Carlos. Nesses espaços públicos, que incluem ainda Passeio Público, Praça das Artes e Largos do Pelourinho (Tereza Batista, Quincas e Pedro Archanjo), o IPAC promove média de 400 atrações a cada mês. Campanhas como #MusEuCurto, #MusEuCuido, Semana de Museus e Primavera de Museus também acontecem anualmente pelo IPAC que já conseguiu aumentar em até 60% a frequência dos seus equipamentos.

PROGRAMAÇÃO e ATRAÇÕES – A homenagem é iniciativa da Assembleia Legislativa da Bahia e indicação do deputado estadual, Rosemberg Pinto. Na entrada do Foyer do TCA, o livro Festa da Boa Morte do IPAC será distribuído ao público. Além disso, 15 mascarados do Carnaval de Maragojipe e 15 músicos da Orquestra Popular de Maragojipe apresentam frevos e músicas baianas orquestradas nas escadarias do teatro. Toques de Orixás com 10 alabês e a dança de 10 baianas caracterizadas são outras atrações da programação que começa no Foyer e termina no palco do TCA.

Integrantes da Festa do Bembé do Mercado de Santo Amaro, Lidro do Amor de São Francisco e os Mandus e Caretas da Festa Nossa Senhora D’Ajuda de Cachoeira farão a festa no palco. A Marujada de Saubara, o bloco Cortejo Afro e o Núcleo de Ópera da Bahia, misturando o erudito e popular, completam as atrações. A entrada é gratuita, dependerá da lotação do espaço e da retirada de ingressos na bilheteria do TCA. Apoio: TCA e Fundação Cultural do Estado.

Conheça outras ações do IPAC como Livros: http://goo.gl/CDv6q3. Assista aos vídeos: educação patrimonial (https://goo.gl/rJggpk), Balé Folclórico (https://goo.gl/jZQjJN), Projeto Axé (https://goo.gl/34bd1a), Dinamização de Espaços/IPAC (https://goo.gl/S4EyRn), Museus (https://goo.gl/uQS9NG e https://goo.gl/vphG2s), Festa do Bembé (https://goo.gl/63H8Ve), Festa da Boa Morte (https://goo.gl/BawMJJ) e Capoeira (https://goo.gl/wFJdGN). Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.

SERVIÇO:

Sessão Especial da ALBA pelos 50 anos do IPAC

Quando: 13 de setembro

Onde: Teatro Castro Alves – Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

Horário: 19h

Entrada gratuita mediante lotação e retirada ingressos Bilheteria/TCA

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 12.09.2016

(71) 3117-64903116-6673, 99110-5099

Jornalista responsável Geraldo Moniz de Aragão (DRT-BA nº 1498)

ascom.ipac@ipac.ba.gov.br

www.ipac.ba.gov.br

Facebook: Ipacba Patrimônio – Twitter: @ipac_ba – Instagram: @ipac.ba