IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

Notícias

Exposição ’02 de Julho: Caminhadas Patrimoniais’ chega ao Shopping Piedade

  • Publicação:

Em homenagem ao Dia da Independência da Bahia, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), autarquia vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult), através do projeto “Caminhadas Patrimoniais: Passos da Independência do Recôncavo” realizará de 28 de junho a 12 de julho, no Shopping Piedade (Piso L3), a exposição “02 de Julho: Caminhadas Patrimoniais”.

A cerimônia de abertura será realizada no dia 28 (quinta-feira), às 14h, no piso L4, e contará com a participação de autoridades, dos proponentes do projeto, além da apresentação cultural do grupo “Poemusik: poesia musicada”, que trará uma performance voltada ao 2 de julho. Ao final do evento, todos os presentes serão convidados para acompanhar um cortejo pelo shopping até o piso em que a exposição estará instalada.

A mostra terá entrada gratuita e será composta por 10 totens que abordam a representação simbólica da independência através de três municípios do Recôncavo. De acordo com o proponente do projeto, Jadson Santos, a iniciativa nasceu com a intenção de revisitar a história do processo de emancipação política do Brasil na Bahia, trazendo, principalmente, a importância das cidades que tiveram participação direta nesse processo político e social.

“Quando trazemos essa discussão, é um método utilizado para salvaguadar todo esse rico acervo patrimonial, histórico e os lugares de memória que fizeram parte desse momento”, explica Jadson.

 

Com o patrocínio integral de recursos do Fundo de Cultura da Bahia, o projeto Caminhadas Patrimoniais, aprovado pelo Edital Setorial de Patrimônio Cultural, Arquitetura e Urbanismo, é estruturado em três etapas: a exposição itinerante, que acontece durante as comemorações de Dois de Julho e contará com rodas de conversa com os pesquisadores do projeto; as caminhadas patrimoniais nas cidades de Cachoeira, São Félix e Santo Amaro, que buscam a memória de fatos marcantes para a história da Independência da Bahia no Recôncavo; e oficinas socioeducativas a partir de linguagens lúdicas e criativas.

 

A historiadora e também idealizadora do projeto, Tamires Conceição, explica que a ação educativa usa como recursos educacionais os monumentos e os lugares ligados a Independência. “Esta ação também tem como objetivo fomentar e diversificar o conhecimento dos estudantes da educação básica desses três municípios baianos sobre as temáticas relativas à história da independência, além da valorização do patrimônio, da identidade e memória local”, destacou.