IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

    banner-terreiros

Notícias

A maior organização de favelas do país se instala no Centro Histórico de Salvador

  • Publicação:

A CUFA já promoveu a sua primeira atividade ontem (18) pela manhã na sua nova sede no Pelourinho, em parceria com o IPAC, com treinamento para comerciantes e empreendedores sobre investimentos nas redes sociais

 

Respeitada e presente em 17 países ao redor do mundo, o Movimento da Central Única das Favelas (CUFA) já está em Salvador, graças à parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) da Secretaria de Cultura (SecultBa). “Nosso foco são empreendedores e comerciantes, por isso, a busca pelo Centro Histórico de Salvador (CHS)”, afirma Celso Athayde, cofundador da CUFA. Para o diretor geral do IPAC, a vinda da CUFA para o Pelourinho já integra a ideia de implantar um Distrito Criativo no CHS que será criado a partir de imóveis que o IPAC tem na área com o segmento da Economia Criativa.

 

“Ontem (19) pela manhã promovemos treinamento sobre redes sociais na nossa sede do Pelourinho para que empreendedores e comerciantes dominem mais essa importante ferramenta”, diz Leonardo Ribeiro, diretor executivo da CUFA. A Central promove ainda aulas de danças, capoeira e parcerias para outros cursos de capacitação. “Nos sentimos felizes da CUFA ter um espaço neste lugar que é o berço do Brasil”, comenta Ribeiro. Ele explica que o público da CUFA está também no CHS. “Nosso público é de negros, de comunidades como a do Pelourinho”, relata. Na Bahia, a CUFA faz ações no bairro de Sussuarana, com tribo indígena e o Ilê Ayê, sediado na Liberdade.

 

DISTRITO CRIATIVO – “É imprescindível um novo modelo de gestão do parque imobiliário do Instituto que atenda a realidade atual, as necessidades urbanístico-populacionais e patrimoniais do CHS e, por isso, o Distrito”, completa o diretor do IPAC. Segundo ele, a iniciativa ocupará inicialmente imóveis no Quarteirão das Artes, entre as Ruas Gregório de Mattos e Frei Vicente, Ladeira do Ferrão e Baixa dos Sapateiros. Nessa quadra, já existem equipamentos do IPAC considerados ‘âncoras’, como o Solar Ferrão, com galeria e coleções de arte, além da Praça das Artes.

 

As negociações entre IPAC e CUFA começaram em junho deste ano (2017), com visita de Athayde, o presidente da Central, o cearense Preto Zezé, além do coordenador de Articulação da Secretaria da Ciência Tecnologia e Inovação (Secti), Hans Ungar Neto. “Temos o desejo de transformar a Bahia na nossa maior referência ainda este ano”, relatou Preto Zezé no encontro com o diretor do IPAC. “Pretendemos usar a tecnologia que temos nos estados e em 17 países. Mas isso é para ser feito com os próprios moradores de Salvador e as parcerias”, disse o presidente. “O IPAC pode abrir ações incubadoras. Ou seja, todas as ações que irão reverberar na Bahia, podem partir do Pelourinho, no Distrito do IPAC”, concluiu.

 

HISTÓRICO – A CUFA é reconhecida em esferas políticas, sociais, esportivas e culturais. Educação, esportes, cultura e cidadania são suas atividades. Um dos seus fundadores é o rapper MV Bill. Com uma linguagem própria, a CUFA difunde a conscientização das camadas desprivilegiadas com oficinas de capacitação e atividades que elevam a autoestima e oferece novas perspectivas.

 

A entidade se debruça nos polos de produção cultural, artística e esportiva, com parceiros, apoios e patrocínios. Sua sede inicial é no Rio de Janeiro e atua em outros 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal e de países como Bolívia, Alemanha, Chile, Hungria, Itália e Estados Unidos. Gastronomia, audiovisual, teatro, oficinas de DJ e produção cultural, também são suas atividades.

 

INTERNACIONAL – Ainda como ação para o Distrito Criativo do IPAC, acontece amanhã (20), no Teatro SESC, no Largo do Pelourinho, o ‘Workshop Internacional Design e Distritos Criativos’. Participam o Instituto Roerich (realização) e o Instituto Pensar (realização e curadoria), com consultoria da Garimpo de Soluções. Palestras e debates com especialistas. Dentre as atrações, a assessora especial da Prefeitura de Lisboa, Branca Neves, as experiências de Buenos Aires, Medellín e Rio de Janeiro. Mais informações sobre o workshop: secretaria@institutopensar.com e (71) 3037-7790.

 

Conheça outras ações do IPAC como Livros: http://goo.gl/CDv6q3. Assista aos vídeos Secom/IPAC: educação (https://goo.gl/rJggpk), Balé Folclórico (https://goo.gl/jZQjJN), Projeto Axé (https://goo.gl/34bd1a), Dinamização de Espaços/IPAC (https://goo.gl/S4EyRn), Museus (https://goo.gl/uQS9NG e https://goo.gl/vphG2s), Festa do Bembé (https://goo.gl/63H8Ve), Festa da Boa Morte (https://goo.gl/BawMJJ) e Capoeira (https://goo.gl/wFJdGN). Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.

 

Crédito Fotográfico obrigatório – Lei nº 9610/98: Jefferson Vieira/IPAC

 

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 19.09.2017

(71) 3117-6490, 3116-6673, 991105099

Jornalista responsável Geraldo Moniz de Aragão (DRT-BA nº 1498)

Texto-base e entrevistas: Newton Soares (estagiário de Jornalismo)

ascom.ipac@ipac.ba.gov.br

www.ipac.ba.gov.br

Facebook: Ipacba Patrimônio – Twitter: @ipac_ba – Instagram: @ipac.patrimonio