IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

    banner-terreiros

Notícias

50 anos do IPAC e Narrativas Patrimoniais foram destaque em Feira de Santana hoje (26)

  • Publicação:

A política pública do Instituto Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e seu programa ‘Narrativas Patrimoniais’ foram destaque na manhã de hoje (26), no 4º Encontro de Políticas e Gestão Culturais, que acontece no Centro Amélio Amorim, em Feira de Santana. A coordenadora de Editais do IPAC, Ana Coelho, fez apresentação do Instituto que atua há 50 anos na proteção do patrimônio cultural baiano, material e imaterial. “O IPAC é referência no Brasil por ter sido um dos primeiros órgãos estaduais de proteção aos bens culturais no país”, afirmou Ana.

Na última década, o IPAC coordena a política museológica no estado e administra os principais museus baianos (www.ipac.ba.gov.br/museus). Promovido pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial (Sudecult) da Secretaria de Cultura (SecultBa), o encontro começou ontem (25) e termina hoje (26), reunindo dirigentes municipais de cultura, legisladores, conselheiros de cultura e gestores sociais. Participam 593 agentes culturais dos 27 territórios de identidade do estado.

NARRATIVAS em SETEMBRO – O Programa ‘Narrativas Patrimoniais do IPAC’, realizado ao longo de 11 meses, de maio do ano passado (2016) até março deste ano (2017), também foi apresentado pela coordenadora Ana Coelho. “O programa reuniu dezenas de produtores culturais, agentes públicos, organizações não-governamentais, estudantes, gestores, pesquisadores e profissionais de museologia, arquitetura, urbanismo e patrimônio cultural (material e imaterial)”, explicou a representante do IPAC. A ideia foi promover diálogo, fomento e qualificação com projetos e agentes culturais das áreas de museologia e patrimônio cultural.

A ação atendeu diretamente as demandas de Salvador, Santo Amaro, Jequié, Serrinha, Ilhéus, Palmeiras, Capim Grosso, Cachoeira e Cabaceiras, e cidades do entorno. Segundo a coordenadora, o ‘Narrativas Patrimoniais do IPAC’ volta a atuar a partir do próximo mês de setembro (2017). “A proposta foi trocar experiências, compartilhar informações, projetos colaborativos e parcerias para a difusão do conhecimento técnico”, explica Ana. Foram oferecidos cursos, oficinas, treinamentos e orientações técnicas voltadas para a formatação e elaboração de projetos com ênfase na preservação cultural.

OBRAS e FISCALIZAÇÕES – O 4º Encontro integra o processo de construção de políticas públicas que a SecultBa vem promovendo nos últimos dez anos. O superintendente da Sudecult, Sandro Magalhães, participou de todo o processo desde o marco zero, em 2007. “A política de cultura deixou de ser algo distante dos cidadãos. É uma organização necessária para a agenda no país, no estado e nos municípios”, disse.

Além de promover a proteção dos bens culturais e atuar na construção da política pública patrimonial e museológica junto aos municípios baianos, o IPAC realiza projetos e obras de restauração em várias cidades. O órgão faz ainda orientações e fiscalizações técnicas via parcerias e cooperações. Assista aos vídeos do IPAC: http://bit.ly/2n1mrVZ. Conheça os museus/IPAC: www.ipac.ba.gov.br/museus. Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio, twitter @ipac_ba e instagram @ipac.ba.

Fotos em BAIXA resolução em anexo

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 26.07.2016

Jornalista responsável Geraldo Moniz (DRT-BA nº 1498)

(71) 99110-5099, 99922-1743

Coordenação de Jornalismo e Edição: Marco Cerqueira (DRT-BA nº1851)

(71) 98234-9940, 3117-6490, 3116-6673

ascom.ipac@ipac.ba.gov.br

Facebook: Ipacba Patrimônio – Twitter: @ipac_ba - Instagram: @ipac.patrimonio